Filho do multi-instrumentísta Egberto Gismonti, o violonísta Alexandre Gismonti acompanha o pai em tournées nacionais e internacionais desde 1997. 
Em 2009, gravou seu primeiro disco, em duo com Egberto, entitulado “Saudações” e lançado pela conceituada gravadora alemã ECM. Em 2010, com sua carreira solo também em ascensão, lançou o disco “Baião de Domingo” (Fina Flor), que lhe rendeu a inédita indicação para o Prêmio da Música Brasileira 2010 (categoria revelação).

No mesmo ano, Alexandre saiu em tounée pelo Reino Unido, Canadá e Estados Unidos, integrando o projeto americano International Guitar Night 2010/2011. Fruto desse trabalho, registrou o disco “IGN V” (Warner Canada), conjuntamente aos violonístas de renome internacional Brian Gore, Pino Forastiere e Clive Carroll.

Convidado para lançar um trabalho solo pela gravadora ECM records, Alexandre desenvolve seu próximo projeto discográfico intensamente, ainda sem previsão para lançamento.
Compositor destacado da nova geração, Alexandre obteve seleção de suas obras autorias nos festivais “Guarulhos instrumental” (São Paulo, 2007), no festival TIM de choro “Casa do Gílson” (Belém, 2007), no “World Guitar Competition (Sérvia, 2012) e no “Projeto Novas”, este último por dois anos consecutivos (Rio de Janeiro, 2012/2013). Em 2015, obteve o primeiro lugar no Festival de Música das Radios Mec e Nacional com sua composição “Na pressão”, interpretada pelo Duo a Zero (formado pelos violonístas Alexandre Gismonti e Jean Charnaux).
Como Arranjador, trabalhou no disco da compositora Lourdes Ábido “Golfinho Gaivota” (Independente), lançado em 1997 que ganhou a interpretação da cantora Jane Duboc. Em 2015, foi o arranjador do Projeto “Terra Brasilis” de autoria da soprano paraibana radicada na Itália, Isabel Barbosa.
Como intérprete, entrou para a lista dos melhores músicos instrumentais brasileiros ao ser selecionado para o “7º Prêmio VISA de música brasileira (São Paulo, 2004).
Alexandre também se destaca como educador, tendo ministrado palestras e workshops no Brasil e exterior. Em 2009, ministrou o curso “Rítmos Brasileiros” na Usina de Arte João Donato (Rio Branco/Acre) e com grande aceitação, levou a oficina também aos EUA, lecionando no California Brazil Camp (Cazadero/Califórnia) e na Universidade de Milwaukee (Milwaukee/Wisconsin), ambas em 2011.
O trabalho de Alexandre Gismonti se espelha na riqueza e diversidade da música brasileira e carrega a bandeira da nobre tradição do nosso violão. Admirador de João Pernambuco, Villa-Lobos, Garoto, Hélio Delmiro, entre outros, Alexandre segue sua trajetória inventiva pedindo sempre à bênção aos grandes mestres.


Pesquisar este blog

Carregando...